quinta-feira, 20 de junho de 2013

F-o-i-se

Sei bem os sorrisos que causei, lágrimas que deixei cair por qualquer alguém que julguei importante. Sei dos meus sorrisos, dos meus sussurros, dos meus gritos de socorro, de perdão, de pedido, de querer, de medo...
Sei bem das cores que já me agradaram mais, das que deixaram desgosto, sei até mesmo os principais sais que me queimaram a pele que revestia a área do coração, sei as salivas ácidas que percorreram pelo meu corpo, durante longos beijos de noites com prazer, ou não.
Sei do que senti quando li de você, que seu desejo se encerrava ou ao menos que seria melhor o fim, naquele momento, mas, ainda assim, mantenho-me, não aqui ou aí para ti... mas mantenho-me presente. Tive meu tempo, fui responsável por colocá-lo em prática, sem lhe questionar ou consultar.. somente o fiz, era melhor para mim, foi e agora..
Saiba bem, saiba de verdade que seus olhos continuam sendo bonitos pra mim, com uma intensidade diferente, não sinto mais o que um dia julguei sentir, não desejo mais o seu cheiro em minhas roupas, não desejo mais lhe ver sempre, não desejo que se junte a mim num beijo longo e duradouro, não desejo mais seu abraço apertado me puxando para mais perto, não desejo mais que esteja comigo, não o desejo, não mais, não hoje, não agora, não pela manhã que nasce bonita, não..
Mas há espaço, meus braços são receptivos a abraços que um dia me fizeram bem.
Escute aquela canção, lembrará de mim.. o doce que um dia fui, virá à tona, e um sorriso acompanhará, e será isso.. somente isso.
Hoje, amanhã também, quando o Sol nascer.. estarei aos braços de um outro alguém, no meu momento, estarei bem como estou hoje, e você... bom, não sei de você.

domingo, 16 de junho de 2013

Meu primeiro S

Eu suportaria outro quebrar de coração, suportaria outra deixa, suportaria que quisesse apenas seu gozo misturado ao prazer nosso, suportaria qualquer triturar, mas a questão não é de suportar ou não..
Meus olhos hoje, estão quentes e felizes como há tanto tempo não seria capaz de estar, não havia nenhum alguém, não havia nenhum querer completo, não havia plenitude e nem mesmo exatidão.
Estou a contemplar sua postura em minha frente, seu observar no meu jardim de inverno, seu cuidado e seu jeito com as coisas, seu jeitinho meio menino, sua calma, minha calma, nossa calmaria.
Ele me completa por hoje, e isso basta... não vou negar seu amor, nem meu amar por ele e nem mesmo nossos sentires em qualquer ocasião.
Senti seu beijo, no ombro, no pescoço, na orelha.. seu cheiro vindo bem perto de mim, seu respeito com o que faço, ele sabe que não me desfaço, sabe e entende quando quero, preciso.. ou quando só estou querendo ser mimada.
Seus olhos são tão intensos e doces, numa combinação que eu jamais imaginaria que sentiria minha alma sendo queimada, que eu desejava, que eu precisava, de certa forma, que somente ele tem, comigo, conosco..
Esse é o amor mais bonito que já conheci até hoje, e sei, sei de verdade que meus olhos nunca mais poderão encontrar olhos tão completos de palavras, quanto o seu.
Por hoje, por amanhã e por enquanto puder ser, somos, seremos.. nós.