sábado, 16 de janeiro de 2010

Ela e mim, as mesmas

Devia mesmo é ser a antipatia em pessoa, acredite isso chama a atenção desses idiotas. - essa era uma parte dela que eu nem sei se queria ter descoberto.
E ser como grande parte das pessoas as vezes lhe parecia tão pouco pra ela, por isso cortou seu cabelo e tentou ser mais rebelde de acordo com o que achava que não era.
Ah, mas quanta complicação vindo de uma pessoa só, pior é gostar de estar confusa consigo mesma, afinal quando falo dela tem tudo e mais de mim, fica sendo ela e mim, mim e ela, nada de eu, já que há pessoas demais desse jeito.
Ela não ri de mais ninguém que não seja ela própria, gosta de fechar os olhos pra fingir estar só enquanto tenta balançar o corpo em noite de diversão. Quanto ao que lhe chega como música nos ouvidos, é um som bom.
Por fim nem afirmo um final pra escrita, nem começo teve. Foi legal observar a ela e mim sendo a garota que cortou o cabelo e está mais rebelde por dentro.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Elas são uma só, juntas

Aquela noite com um gosto meio rosa ficou olhando pra mim, mas eu não queria fugir, não naquela noite.. mas até que ponto não foi o que fiz, só falei pelas metades.
Alias, a 'nova' garota, a dos cabelos curtos, que na verdade é a mesma tentando ser mais ela, acabando sem saber que é, bom.. o fato é que ela não está lembrando mais de se preservar, pra si mesma, e ela sabe...
Ela sorri ainda assim, com umas gotinhas formando um estranho olhar dela...
O que sei é que o irreal já está matando o suficiente, deixa a garganta travada e nada sai, nem mesmo uma palavra...
Correr pode melhorar, assim você perde o ar e algum ar novo deve entrar, e quem sabe o que lhe entope a garganta não saia e você possa oa menos gritar.
O que sei dela, ela sabe de mim, acabamos por ser uma só, a garota do cabelo curto ta se chamando Paroz agora, quer escrever uma nova história, e eu fico aqui entendendo o que está se passando por dentro dela, descobrindo uma dor dela que por fim é minha.