domingo, 18 de novembro de 2012

d'outro

Era uma queda d'água sem sentido algum. 
Não haveria por que lágrimas escorrerem por sua face, 
uma vez que seu sorriso parecia sempre tão intenso.
Mas o fato é que, noites mal sucedidas, sempre lhe faziam pensar em um grande amor.

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Dor alheia

Aqueles olhos que conseguiram se manter secos durante toda trajetória, somente naquele momento, deixou escapar uma única gota.
Era incontrolável ler seus planos, sabendo que não haveria espaço para o amor verdadeiro, para o amor que sempre disse ser verdadeiro.
Continuo sendo a mesma, continuo a sugar a tristeza alheia, de forma a descartar por aqui... apenas para que não haja tanto sofrimento para qualquer alheio. Não sou capaz de suportar tal sofrimento, sendo um amor correspondido de forma tão torta.
Me pego assim, fincando em mim, todos os fiapos que encontro fincados em outro peito, é dor de desrespeito.
É tudo uma mistura jogada na mesma panela, qualquer dor que alguém carrega, pode rapidamente ser fincada em mim, pois jurei a mim mesma que não aceitaria um mundo assim.
Aí que eu me questiono, será que alguém se juntaria a mim?!