sábado, 5 de fevereiro de 2011

Seu título

Fechei meus olhos apenas por alguns minutos, pareceram dias.
Me sinto incomodada quando as coisas se encontram no lugar onde deveriam estar... é uma questão de gostar da minha bagunça, e assim serve para minha vida, é a minha bagunça onde ninguém possui o direito de interferir.
Eu chorei, derrubei lágrimas incontáveis por um tempo longo, por muitas pessoas, muitos motivos e muitas dores, mas agora eu não vou simplesmente deixar minhas lágrimas rolarem, seja qual for o motivo, eu me farei forte, e você parecerá ser só um complemento da minha vida, apenas pelo fato de neste momento eu desejar tanto ter uma vida contigo.
Depois desse parágrafo anterior eu acordei, e percebi que por mais que repetisse isso em mente acordada não seria jamais o que eu poderia vir a sentir ou a fazer. E fiquei me perguntando como acontece esse meu amor, como eu sinto meu coração acelerar, como meu olho brilha a cada olhar seu pra mim, como meus ouvidos estão prontos a escutar suas palavras, como meu corpo sempre está de acordo a um encaixe com o seu, como as minhas mãos desejam entrelaçarem-se com as tuas, como o meu respirar sente o seu cheiro mesmo longe.
Dentro esse meu sentir existe um medo de errar, seja no seu ou no meu, medo de errar no nós.