sábado, 13 de fevereiro de 2010

Ao abalado

Se pudesse escrever o mundo todo de mim.. ainda faltaria!
Sabe quando é facil fechar os olhos, mas uma brisa reclama que tu não sente tudo de verdade, e ela não mente... mas se o cansaço vem abalando e melhor fingir não estar aos prantos.
Parece que foi feito algo marcado, posso querer alguém do meu lado, um sorriso embrulhado já me contenta boa parte, a outra faz arte. É tanta divisão vindo de mim mesma, um aí me disse que não mostro o brilho que tenho, não é isso que escondo, talvez bem mais.. na verdade eu só guardo!
Desde tanto tempo tem coisa perdida aqui, tem estrago muito estragado que eu esqueço sempre de jogar, também há quebrado, mas os cacos penetraram a pele. Tem sorriso perdido, tem disposição se escondendo.
O que sei é só do pouco de mim, que vem, vai.