sexta-feira, 27 de setembro de 2013

umaevintequatro

Foram voltas que eu dei,
Me rastejei em mim mesma, buscando qualquer que seja meu erro.
A única coisa que parece ter hoje, é meu choro, meu lábios calados, meus olhos caídos, meus ombros pra dentro, minha alma guardada.
Meu medo parece ser só meu, o problema que parece que sinto junto, também é só meu.
Há tempos que não sentia uma dor aguda, sem ter a certeza do que era,
há tempos que não amo um outro alguém, de forma tão intensa,
talvez por isso há tempos, não me sentia tão viva, mesmo com alguma dor.
Seus lábios repetem o que eu digo em tom de pergunta...
as lágrimas que pareciam ter cessado, voltam, com tom de quer mais,
e em tentativas mil, escondo a voz embargada da ausência do meu sorriso.
E por hora aquieto meus dedos apressados em declarar o grito que há preso em minha garganta!