quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Aquele momento

Já faz um tempo que eu não escrevo, e isso é por um único motivo.
Escrever coisas tristes, me faz sentir coisas tristes, mas eu só escrevo coisas tristes, então para que isso não torne minha vida em um mar de tristezas fiquei muito tempo sem escrever.
Quer saber, vou escrever, não importa se é triste ou não, nem me importo mais se isso vai realmente me afetar, porem eu já não aceito esse fato.
Eu andei pensando em algumas coisas, e não cheguei a propósito algum.
As pessoas se castigam por desejar o que não é nosso, as pessoas simplesmente vivem de um jeito pensando em outro, pensam em como poderia ser a vida se uma pequena coisa fosse de um jeito que não é, mas porque é que elas pensam assim?
eu escrevo pra mostrar pra quem quiser que a vida só é do jeito que a gente quer, as vezes penso que isso é algo RIDICULO, será mesmo?
Tanta gente acredita que por ser pobre nunca vai poder fazer uma faculdade que o mundo se contagia por essa idéia implantada em mentes céticas, tornando tudo aquilo de positivo em negativo.
Nem todos procuram respostas, e na verdade, eu mesma pergunto se assim faço, e logo a resposta surgi mesmo sem eu ter desejado-a, é eu também faço, falo, vivo, de modo que não acredito ser o mais saudável.
Minhas questões me rodeiam o tempo todo e a resposta que desejamos sempre está a nossa procura também, porque tudo e todos são manipuláveis, porque é que nós vivemos fazendo perguntas para as pessoas que sabem somente julgar, e acabei por eu mesma julgá-los neste momento.
Procurar o momento exato para fazer algo, sabe isso às vezes tem um nome de verdade, esperar para viver, por ter medo de morrer, por não querer amar e acabar se machucando, me machucando?
Todos temos cicatrizes, não é preciso cair de um penhasco para tal, apenas pense negativo, claro que já pensou logo então se cicatrizou algo em você.
Eu olho em minha volta e percebo uma coisa, todos se importam com o que menos importa de verdade, e todos reclamam de tal, mas todos, sem exceção alguma, repara em tal, repara naquilo que menos tem em muitas vezes, e percebe então que já se contagiou pelo mal que mais odeia.
Mas o que realmente importa é viver, não fazer como eu, deixar a vida morrer antes de você mesma sabe?! São coisas simples a seguir, tão simples que acabamos nos perdendo em um mar de ilusões contrarias, distantes de tudo aquilo que realmente queríamos.
Procure o caminho que te faça feliz.