terça-feira, 26 de outubro de 2010

Não dá pra deixar estar

Pela janela, era possível ver algumas gotas de tristeza caindo do céu, dentro de mim era possível sentir essas gotas se solidificando, transformando em uma vontade de gritar e chorar.
O dia foi longo, as vozes foram irritantes, o canto não acalmou muito e toda a dose de alegria que possuía comigo desceu pelo ralo, enquanto deixei a água lavar meu corpo.
Entrei em transe e fiquei no modo: COMPARAÇÃO. Onde tudo fazia com que eu fosse diminuída e nenhum sorriso fosse capaz de salvar minha alma, deixando-a branca.
Não quero mais entender o mundo, não sei se quero cuidar de alguém, ou se seria capaz de curar alguma dor alheia, já que em mim, vem sendo manifestado uma coisa que não possui nome, que deixa minhas cores preferidas no preto&branco, que não me faz andar nem correr.
Mas onde se encontra o mundo, quando tudo que se quer é um ombro amigo, um colo e alguém lhe mostrando que as coisas não vão tão mal assim?!
Como é que eu vou curar o mundo, se eu não me curo de mim mesma, se a minha dor fica nesse vai e vem, que parece intensificar de uma maneira triste?!
Alguém me vê aquele remédio que se toma, quando o que se deseja e dormir no mais profundo sono e só acordar depois que o caos sumir?

Nenhum comentário: